Imbróglios e solução da Inepar

Imprimir
Categoria: Inepar
Criado em Segunda, 21 Janeiro 2013 Escrito por Lucas Amorim

Fonte: vagsoli do fórum ADVFN

Esquecer o passado não dá, mas também não dá para ficar chorando o leite derramado, as únicas soluções no CP ou MP é vender e partir para outras ou esperar (mais um pouco) até que algum driver saia para começarmos a reverter este jogo, cito alguns deles:



- Processo CVM X IAP, parece que está em fase final, se a CVM punir e fizer um bom acordo, pró minoritários, com multa, Estaleiro, Tiisa, talvez parte dos 12% da IESA O&G e até uma pena administrativa, poderemos ter uma mudança de imagem perante ao mercado;

- CRI do Estaleiro, falta a aprovação final da CVM, talvez esteja atrelada ao processo acima;

- BNDES/CEMAT, uma hora sai, pois não existe outra maneira da Inepar pagar o BNDES se não for através de acordo que perdoe multas, juros e encargos gerais e CEMAT como parte de pagto, é isto ou ficar sem receber. Mas se forem aguardar o final da novela REDE, ai deve demorar, talvez de 03 a 06 meses;

- Acerto judicial com a Receita, talvez com volta ao Refis, também acho que deva sair, mas os processos judiciais são morosos, deve demorar, pois são muitos processos. Este caso só se resolveria a CP e MP se abrissem novo Refis que está sempre em pauta no congresso;

- Após a casa estar um pouco mais arrumada, poderemos e deveremos ter a venda de uma parte da empresa, possivelmente IESA.

Enfim é aguardar, comprar mais quem tiver recursos e acreditar que estas mudanças virão ou vender.

Com relação a ideia da segunda vaga, enviei e-mail pro pessoal que está organizando isto, mas acho difícil conseguirmos isto, só depois de muita batalha e no LP, o duro é ter pique para isto agora.

A Inepar tem muitos ativos que podem ser vendidos que resolveriam a situação do passivo e da empresa, não vendem pelo imbróglios da justiça e passivos ou pela não determinação dos dirigentes em fazer isto, mas ainda acredito que esta situação vai mudar, depois que tivermos a definição da CVM X IAP, Bndes/Cemat e CRI do Estaleiro.

Temos:

- 50% da Andritz, poderiam vender 20 a 30% deste total, uma vez que o controle já é dos Austriácos com 1 ação a mais.

- Estaleiro poderia ser vendido também (após o CRI), outro caso de controle compartilhado.

- Parte da IESA O&G também poderia ser vendida.

- Alêm da IESA Projetos, neste caso acho que o melhor seria um JV com a Hitachi, mas tá difícil de sair.

Se realmente quisessem vender para resolver os problemas, já teriam vendido, é só contratar um destes Bancos de investimentos para preparar a "noiva" que eles achariam um comprador pelo mundo.

Espero que o Atilano e Cia acordem ou que a CVM acorde eles, pois ficar empurrando com a barriga é muito arriscado para todo o grupo e para nós.


Smileys

:confused::cool::cry::laugh::lol::normal::blush::rolleyes::sad::shocked::sick::sleeping::smile::surprised::tongue::unsure::whistle::wink:

 1000 Characters left

Antispam Refresh image Case insensitive

Copyright 2011. Joomla 1.7 templates try out productie boltari beton. Custom text here