Análise setor elétrico

Imprimir
Categoria: Artigos
Criado em Sábado, 22 Junho 2013 Escrito por Lucas Amorim

Fonte: Rockenfeller do fórum ADVFN

eu gostaria de saber a opiniao dos amigos, sobre o setor eletrico, vcs não acham muito cedo para entrar comprado nas ações deste setor não? acho que ainda vai ficar um bom tempo neste patamar, tendo em vista que muitos investimentos terão que ser feitos no setor, sem contar que o governo está usando este setor para conquistar os pobres, reduzindo a conta de luz e aumentando o preço do combustivel, pois é, todo pobre tem luz em casa, porem poucos tem carro, gostaria de saber a opinião de vcs

 

Comentário do paulo_prof:

No que tange o setor elétrico, acho que a melhor aposta para o médio/longo prazo é a ELET. No caso, a ELET3 a R$ 5,70 está com um preço ridículo (P/VPA = 0,12), especialmente depois da Eletrobrás demonstrar, pelos resultados do 1T13, que tem condições de gerar lucro. Para aqueles que acreditam que a nossa senhora em Brasília não tenha a cara de pau de mudar a regra do jogo (estatuto social) relativa aos proventos mínimos, a ELET6 encerra um risco menor, pois em princípio garante um rendimento líquido de R$ 1,39/ação/ano, o que ao preço de R$ 10,20 fornece um DY = 13,6% para um P/VPA = 0,21, igualmente ridículo.

Confesso entretanto, não estar entendendo porque o mercado bateu forte nos ativos da Eletrobrás nos 2 últimos pregões. Só pode ser devido a fuga dos firanges. Para mim, ou nada estou entendendo (bastante provável) ou o movimento faz pouco sentido, já que a desvalorização do real é positivo no que concerne o resultado financeiro da empresa. Apesar de ter uma dívida bilionária em dólares, tem ativos ainda maiores na mesma moeda. Em conseqüência, a atualização cambial fornece um resultado positivo sempre que o dólar valoriza em relação ao real. Vou ficar muito surpres se a empresa não postar um resultado positivo já no 2T13 (mesmo considerando que este resultado seja não recorrente, pois será devido a uma desvalorização sensível do real).

De uma maneira geral, eu nunca investiria numa Eletrobrás ... mas aos preços vigentes, a margem de segurança é tão grande que as chances de se dar mal no longo prazo são minúsculas.

Outros ativos interessantes para o longo prazo parecem ser:

CPLE: a única grande ameaça que visualizo é esta vontade de adquirir os ativos da Rede Energia ... o meu palpite é que estes ativos, se adquiridos, vão puxar o resultado da Copel para baixo durante muito tempo. 

CMIG: especialmente se tiver sucesso em seu pleito de obter (na justiça) a renovação automática das 3 usinas cujo prazo de concessão está vencendo. Se a CMIG não conseguir renovar as concessões sem ônus (ter que cobrar bem menos pela energia do que está conrando hoje), acho que o quadro ainda será positivo, mas não se poderá afirmar que os ativos estão sendo oferecidos de graça.

ELPL: tendo em vista o mercado em que atua, acho que visando um investimento de longo prazo está barata, especialmente se for bem sucedida em seu pleito junto a ANEEL de ver reconhecidos alguns investimentos realizados no passado e que não foram considerandos na revisão de terceiro ciclo. Considerando, entretanto, que também há ameaças (problemas atuariais no fundo de pensão eimbroglio judicial com a Eletrobrás), recomenda-se moderação.

 

Comentário do small_caps:

A ELET6 tem pontos forte e fracos:

Fortes: posição de caixa confortável, concessões importantes em desenvolvimento, previsão estatutária de dividendos interessantes para as ações preferenciais, reservas de lucros.

Fracos: gestão ineficiente, com custos muito altos; programa de redução de custos encaminhado com lentidão; Programa de demissão incentivada caro e que certamente vai fazer sair só quem já estava de malas prontas... cultura corporativa péssima.

De qualquer sorte, considerando que ela praticamente tem caixa líquido e que boa parte do endividamento recente será quitado com o fluxo de caixa dos projetos que devem inaugurar até 2016, é de se analisar com mais cuidado.

O grande atrativo, conforme posto pelo Professor Paulo, é a distribuição de proventos. Ela virá da reserva de lucros, salvo entendimento de que com prejuízo anual isto não será mais possível. Neste último ano encerrado, parte da reserva de lucros foi distribuída. Mas isto não é uma certeza. O fluxo de caixa da empresa continua forte e tranquilo. Mas ela não deve apresentar lucros tão cedo... E vai depender da eficiência do controle de custos. A única coisa que dava lucro forte da Eletrobrás eram as concessões de transmissão, que foram renovadas com valores muito baixos...

Mas, ela está recebendo uma boa grana por estas concessões que foram renovadas com receitas irrisórias e deve ganhar algum retorno financeiro com isto. Seu caixa é remunerado acima do seu custo de captação. E o aumento da SELIC lhe é benéfico.

Assim, o investimento, ciente dos riscos colocados acima, se torna interessante especialmente pelo: a) baixo P/VPA em que a ação é negociada; b) dividendos estatutários fortes; c) possibilidade futura de governos que presem mais pela eficiência da administração pública (CEMIG e COPEL são absurdamente melhor administradas).

CONCLUSÃO: Fiz a troca de ELPL4 por ELET6/ELET3. A primeira é operacionalmente muito melhor, mas a dívida está pesando muito. A segunda pode esperar por dias melhores, pois sua condição de caixa é muito positiva. No balanço dos riscos, o momento é de cautela... e ter caixa é mesmo um diferencial importante...

OBS: está é a última operação de recomposição da carteira de dividendos...


Smileys

:confused::cool::cry::laugh::lol::normal::blush::rolleyes::sad::shocked::sick::sleeping::smile::surprised::tongue::unsure::whistle::wink:

 1000 Characters left

Antispam Refresh image Case insensitive

Copyright 2011. Joomla 1.7 templates try out productie boltari beton. Custom text here